Matéria: Doença Hemorroidária

A doença hemorroidária é uma das enfermidades mais antigas de que se tem registro na história da humanidade. É uma doença muito frequente. Afeta em ambos os sexos, em todas as raças e idades, com maior incidência na quarta década de vida, ocorrendo raramente na infância e na adolescência.

A região anorretal é constituída por uma rica rede de pequenas veias e artérias que se comunicam, formando os chamados plexos hemorroidários.

A doença hemorroidária (ou a hemorróida) surge quando há congestão, dilatação e aumento dos plexos hemorroidários, formando grandes emaranhados vasculares que apresentam consistência amolecida e forma abaulada, situados no canal anal.

Em outras palavras hemorróidas são veias dilatadas na região anal que podem ser internas, externas ou mistas.

A natureza exata da doença hemorroidária não é ainda completamente conhecida, mas vários fatores são importantes no seu surgimento :

1 Dieta pobre em fibras e pouca ingestão de líquidos, acarretando endurecimento das fezes e maior esforço evacuatório.
2 Hábitos defecatórios errôneos, como a insistência em evacuar todos os dias, esforçando-se demasiadamente para evacuar.
3 Predisposição familiar.
4 Fatores desencadeantes ou agravantes, como constipação intestinal, diarréia crônica, gravidez ou abuso de laxativos.

 

Sintomas


A doença hemorroidária, em boa parte dos casos, é assintomática, sendo diagnosticada ao exame físico; porém as pessoas portadoras de hemorróidas podem apresentar diferentes sintomas, com vários graus de intensidade.


Sangramento - É a queixa principal, mais frequente e, às vezes, a primeira a manifestar-se. Pode ser visto no papel higiênico, gotejando no vaso sanitário ou acontecendo em jato, durante e/ou imediatamente após a evacuação. A hemorragia volumosa é rara, porém a perda de sangue discreta mas contínua pode acarretar um quadro de anemia. É importante lembrar que outras doenças também podem causar sangramento pelo canal anorretal. Exemplo: as fissuras e os tumores, motivo pelo qual devemos sempre procurar um proctologista para definir, com precisão, a causa do sangramento.


Prolapso - Caracteriza-se pela exteriorização do mamilo hemorroidário interno, para fora do canal anal, durante o ato evacuatório ou durante as atividades físicas. O mamilo pode retomar espontaneamente ou necessitar ser recolocado, digitalmente, para o interior do canal anal.


Exsudação Perianal - Caracteriza-se pela umidade da pele perianal causada pela presença de muco nessa região. Acompanha-se, em geral, pelo prurido anal e irritação local.


Desconforto Anal - Durante ou após a evacuação pode haver uma pressão anal, definida pelo paciente como um desconforto, porém sem dor anal, porque a simples presença da doença hemorroidária não causa dor. A presença de dor está relacionada às complicações, como a trombose hemorroidária e o hematoma peri-anal, ou pela associação com outras enfermidades dolorosas dessa região, como a fissura anal, por exemplo.


Tratamento


A doença hemorroidária que não ocasiona sintomas ao paciente não necessita de tratamento específico, mas de cuidados higiênico-dietéticos (dieta rica em fibras, evitar uso de papel higiênico, proibição do uso de laxantes, etc.). Contudo, caso haja necessidade do tratamento curativo, este só se dará com a intervenção cirúrgica. Existem para tanto algumas técnicas:


Crioterapia - método utilizado para tratamento de hemorróidas pequenas e internas. Consiste na aplicação sobre o mamilo interno de nitrogênio líquido, à pequenas e internas. Consiste na cauterização tecidual utilizando-se um aparelho de raios infra-vermelhos.temperatura de - 196 °C, provocando a necrose do tecido por congelamento.


Fotocoagulação - método também utilizado para o tratamento de hemorróidas.


Ligadura elástica - método utilizado para o tratamento de mamilos hemorroidários internos. Consta de um aparelho aplicador de anéis de borracha que traciona o mamilo hemorroidário e coloca em sua base um anel elástico, provocando uma necrose e posterior queda do mamilo por isquemia.


Cirurgia Convencional - para o tratamento de mamilos hemorroidários internos maiores, que normalmente se exteriorizam pelo orifício anal, ou mamilos externos. As técnicas existentes consistem na retirada do mamilo hemorroidário através de incisões e dissecções cirúrgicas. Para a realização destas cirurgias, em geral, o paciente é submetido à uma raqui-anestesia e seu período de internação hospitalar, em média, é de 24 horas.